Vending Machine no Brasil: o fim dos produtos liberados?

Oferecer uma vending machine para os funcionários pode fazer toda a diferença. Essa é uma forma de aumentar a motivação, de trazer itens de qualidade e de conseguir maior satisfação.

O modelo de produtos liberados é bastante utilizado nesse sentido, porém de forma gratuita. Contudo, esse modelo no Brasil, vem diminuindo e se modificando com o tempo. Será, esse, o fim dos produtos liberados e o crescimento das vending machines?

A seguir, veja a resposta para essa pergunta e entenda mais sobre essa transformação.

Como a vending machine se estabeleceu no Brasil?

Para compreender as mudanças desse processo, é relevante iniciar pensando em como as vending machines chegaram ao Brasil. Assim como na Europa, a máquina de café foi quem começou a dominar o mercado, o que permanece até hoje.

Inicialmente, o modo mais buscado pelas empresas era o de serviço liberado. Ou seja, os funcionários poderiam beber quanto café quisessem, servindo-se à vontade, gratuitamente.

Por muito tempo, esse foi um modelo preferencial que funcionou. Ele ainda se mantém firme no mercado, contudo, esses elementos vêm mudando. Com o passar dos anos, tem sido comum ver empreendimentos que dão preferência a oferecer uma opção em que cada um paga por sua aquisição.

O que tem motivado essa mudança?

A modificação do modelo de consumo de vending machine nas empresas tem o apoio de alguns aspectos. O primeiro deles é, sem dúvidas, o econômico.

Em um cenário de crise e de incertezas contínuas, economizar é absolutamente necessário. Cortar gastos supérfluos pode ser o que fará com que um negócio se mantenha no mercado.

Como o consumo de vending machine é interessante para motivar funcionários, mas não é indispensável e nem a única opção, romper com os produtos gratuitos pode ser uma saída.

Além disso, é importante lembrar que a busca por qualidade é um motivador para mudar o modelo. Diante do interesse de buscar novas variedades de café e uma experiência melhor, é possível adotar vending machines completas e cuja operação é mais onerosa. Ao mesmo tempo, é preciso repensar a liberação irrestrita de uso.

Afinal, é o fim dos produtos liberados?

Ainda que essa mudança esteja se consolidando por diversos fatores, não se pode afirmar que é o fim do consumo liberado. Muitas empresas permanecem contratando uma vending machine com o objetivo de oferecer o máximo atendimento e disponibilidade aos funcionários.

Como isso depende da dinâmica e das possibilidades de cada negócio, é improvável que a contratação cesse por completo.

Por outro lado, novas formas vêm sendo utilizadas — e a tendência é que cresçam ainda mais. É o caso das empresas que fornecem cartões com valores específicos, limitando as solicitações de seus funcionários.

Apesar de ser improvável que os produtos liberados acabem de vez, o uso de vending machine no Brasil vem mudando. Com isso, é importante reconhecer e se preparar para esse aspecto, usando as melhores possibilidades desses equipamentos.

Gostaria de ter uma vending machine no seu negócio? Entre em contato com a Praticca e faça um orçamento.